Anzóis – Algumas considerações

Esta é uma reportagem feita pelo atleta Fernando Arruda e divulgada pelo fórum Ases da Pesca.

Fernando faz considerações pessoais sobre as características dos anzóis, dando dicas acerca das características do material, e a sobre o desempenho.

Enjoy:

Qual a importância real de anzóis de boa qualidade? Qual a diferença entre modelos? Qual modelo usado para cada espécie (esta ultima inquisa me fascina)? Enfim, este espaço se destina ao bebate do assunto.

Como pescador interessado em pesca desportiva, dissertarei sobre minhas experiências, mas por favor, não levem muito a sério, ante à experiência diminuta que possuo.

Vamos lá:

1-Akita Kitsune: anzol muito fino e com excelente fisgada. Seu formato curvelíneo assemelha-se a uma flexa, facilitando o embuchamento do peixe. Na minha opinião, o ponto fraco desta fisga é que a morte do anzol (ponta), por ser muito curta e curvada para dentro, facilita a escapada do peixe. Utilizo principalmente na pesca de riscadinhos e betarinhas.

2-Sode: Anzol muito fino e de excelente fisgada. O diâmetro de sua morte é maior que do akita kitsune, o que na minha opinião auxilia na manutenção do peixe fisgado. A crítica sobre este anzol é que pelo fato de ser mais aberto que o akita, e ser muito fino, quebra-se à toa, além de rasgar a boca do peixe com muita facilidade. Utilizo principalmente para a pesca do pampinho, mama-reis, galhudinhos, peixinhos em geral de boca dura. Utilizo os tamanhos maiores para a pesca de funso (nº 8 ao 10), dando prioridade aos Shiro-Sode, trabalhando o peixe fisgado após 160 metros com muita calma e paciência.

3- F1 Gamakatsu: Na minha opinião, trata-se de um abrasileiramento do akita kitsune. Os pescadores da antiga costumavam abrir um pouco a morte do akita e entortá-la para um dos lados (um dos muitos trabalhos possíveis a este anzól). Forjado com aço mais grosso, trata-se de anzól mais resistente que o akita. Adoro este anzóis para a pesca de molhes, pois não perde tantos peixes ao suspendê-los pelo costão. Também utilizo para a pesca das cocoroquinhas depois de 140m.

4- Maruseigo: Dos quatro, o mais antigo. Trata-se de anzol extremamente forte e de fisga apurada. Um dos pioneiros da nova geração de anzóis de competição. Muito utilizado para a pesca de peixes mais pesados. Utilizo para a pesca de fundo ou para a pesca do carapicu quando este está largado… o anzol não quebra!

5-Shiro-Kitsune: A palavra shiro significa “grosso” em japonês, assim como Akita significa “fino”. Então ao examinar-se os anzóis akita kitsue e shiro kitsune leia-se kitsune como o modelo do anzol e akita e shiro como a especificação de diâmetro do aço forjado. Trata-se de anzól extremamente forte, de boa fisga, que eu utilizo em minhas pescarias (pescas de lazer). Não sou fã deste anzól para competição pois o acho muito pesado e creio que tal fator auxilia no “enterramento” da isca, dificultando a ferrada dos peixinhos tão almejatos nas competições.

Existem muitos outros anzóis no mercado. Todavia, ante a minha exígua experiência, continuo crendo que os quatro primeiros mencionados são suficientes às competições de praia em quase todos os mares deste planeta (salvo raríssimas exceções). Cada pescador elege seu favorito, utiliza o que melhor lhe aprouver, inclusive tantos outros tão bons ou até melhores que os citados, como modelos tarimbados dos Au Lion Do´r ou VMC.

Espero ter contribuído com nossa pesquisa… Espero considerações e outras dicas.

Um grande abraço a todos.