Social: uma aventura na Amazônia!

 

 

Que pescaria é uma grande paixão, todo pescador sabe. Ainda, que a pescaria é uma paixão inesquecível para todo pampista, é lugar comum. O que seria então o sonho da vida de um pescador? Mais… o que seria a realização de um pescador cuja história por si só se confunde com a própria história do Pampo Clube de Pesca? Essa é a história que contaremos hoje a respeito do sócio e atleta Maurício do Valle, o nosso “Tio Marreco”.

Com cerca de quarenta anos como associado do PCP, Maurício é figura conhecida e querida por todos os cantos do Brasil. Durante muito tempo defendeu o pavilhão celeste nos desafios desportivos, inclusive tendo defendido a seleção carioca e a seleção brasileira por algumas oportunidades, tanto como atleta e posteriormente como capitão de equipe. Qual desafio estaria faltando na vida deste grande pescador?

Segundo Maurício, na década de 70 o PCP possuía uma equipe de caça e pesca (ao tempo a caça era permitida no Brasil) que regularmente fazia incursões no Pantanal Mato-grossense e na Bacia Amazônica. Tal equipe era encabeçada pelos saudosos Davi e Hamintas Ferraz, fundadores do PCP, e realizavam esta viagem na temporada de Setembro. Segundo “Tio Marreco”: “Eu sempre assistia a equipe do PCP partindo para as aventuras do Pantanal e da Amazônia… Cheguei até a me organizar algumas vezes para acompanhar aquele grupo, mas por inconvenientes da vida, nunca cheguei a materializar meu sonho. Essa viagem foi o sonho da minha vida realizado…”.

Maurício compôs grupo formado pelo guia Yan Arthur de Sulocci, pescador renomado conhecido no meio esportivo. O grupo deixou o Rio de Janeiro com destino a Manaus. Lá chegando, nova viagem de avião até a cidade de Barcelos: “Voamos cerca de uma hora e meia por cima da selva amazônica. Era selva… não se via sinais de civilização. Foi muito emocionante.” declarou Maurício.

Após o pouso, subiram mais doze horas navegando o Rio Negro até o afluente de nome Paduari. Dali seguiram pescando até a fronteira com a Venezuela, até a cidade brasileira São Gabriel da Cachoeira. Foram oito dias de pesca objetivando o Tucunaré-açu, espécie de Tucunaré que ultrapassa os oito quilos. Informou Maurício: “O objetivo da viagem foi a captura dos tucunas gigantes com as iscas artificiais. Tínhamos que atravessar de uma a duas horas por dentro do mato para chegarmos aos lagos. Foi uma aventura maravilhosa”.

Maurício fez questão de enaltecer o profissionalismo de Yan e equipe. Informou a todos que pretende voltar no ano que vem para encontrar seus novos amigos amazonenses.

Vamos curtir agora mais um pouquinho do que foi esta grande aventura do nosso Tio Marreco.