Posse Nova Diretoria

O Pampo Clube de Pesca informa aos amigos de todo o Brasil, que no dia 17 de março de 2012, em nossa sede em Jaconé, tomou posse a nova diretoria do Pampo Clube de Pesca para o biênio 2012/2013.

Na solenidade de posse, o ainda presidente Victor tratou de fazer um discurso que contou um pouco de tudo que ele fez pelo clube nestes dois últimos anos, dos avanços conquistados, dos erros cometidos e da acertada decisão que selou um novo destino da Pesca em todo o Brasil.  Terminado este discurso, foram entregues ao novo presidente as bandeiras do Brasil e do Pampo, bem como foi passada a faixa de Presidente ao Edson.

O presidente recém empossado fez o discurso aqui reproduzido e chamou toda a sua diretoria, a saber: Marquinhos (Vice-Presidente), Victor (Dir. Financeiro), Vinny (Diretor Social), Tom (Diretor Administrativo) e Fred (Diretor Jurídico).  Tendo em vista que acometido de um problema de coluna que o impossibilitou de comparecer à solenidade, o Diretor de Esportes João Aversa foi representado pelo Diretor Adjunto de Pesca, Tião, que recebeu a faixa em seu lugar.

Ato contínuo, foi feita uma homenagem ao nosso ex-presidente Sr. Antonio Gonçalves, falecido recentemente, sendo apresentada uma placa em sua homenagem, a qual será colocada em um espaço destinado a homenagens a grandes Pampistas, que será criado ao final das obras em nosso clube.  Eis o texto:

“Ao nosso ex-presidente JOSÉ DOS SANTOS GONÇALVES,  a homenagem do Pampo Clube de Pesca por sua dedicação e grande respeito às tradições deste clube, pela cordialidade e bom humor que sempre lhe foram característicos e pela forma competente com que  colacionou amigos em sua valorosa vida.”

Seguindo-se nas homenagens, foi apresentada uma placa em nome dos Atletas do Pampo Clube de Pesca ao Presidente Victor, por sua coragem e iniciativa em liderar o processo de desfiliação do Pampo levado a termo em janeiro de 2012. Diz a placa de homenagem:

“Presidente VICTOR MANUEL FERREIRA:

A você que liderou com competência e respeito aos princípios democráticos, o mais bem sucedido movimento de renovação da pesca no Brasil.

A você que mesmo estando perto do limite final de seu mandato, não fugiu de suas responsabilidades e trouxe para si o comando de um dos mais importantes atos ligados ao esporte do Pampo Clube de Pesca depois de sua Fundação.

A você que presidiu uma diretoria que teve coragem de tomar atitudes que há muito tempo eram clamadas por pessoas diretamente ligadas ao esporte, as quais nunca ousaram proceder.

Os ATLETAS DO PAMPO CLUBE DE PESCA prestam esta HOMENAGEM, com o reconhecimento de seu ato de comando da desfiliação do sistema federado ligado à CBPDS e o agradecimento por ter contribuído tão diretamente pela retomada da liberdade e da alegria pela prática da pesca desportiva em nosso clube e indiretamente em todo o Brasil.”

Para entregá-la em nome dos Atletas, foi convidado o Tião, que chamou o Roberto Herz e juntamente com ele pediu para que o Sr. Eduardo Elias Jorge, pai do Presidente Eleito e um dos fundadores das entidades da pesca desportiva no Rio de Janeiro, a entregasse ao Victor, que emocionadamente a recebeu.

O Diretor Jurídico Fred, pediu a palavra para ler uma mensagem enviada pelo nosso ex-presidente Hugo Pio, que felicitava a nova diretoria e mandava especiais parabéns ao seu amigo e afilhado Edson, que assumia a presidência do clube naquela oportunidade.

Assistindo a tudo isto, estavam presentes mais de 80 pessoas, entre sócios e atletas que após a solenidade de posse e apresentação da nova diretoria, seguiram para o salão do restaurante do clube, que estava totalmente ornamentado e preparado com carinho pela Sandra, tudo sob a supervisão e o trabalho árduo de nosso Diretor Social Vinny, visando receber da melhor forma possível todos que ali estavam presentes.

Após uma breve entrada, foi servido o jantar elaborado pela Flávia, que agora acumula as funções de Cheff e de Primeir a Dama.  Após a sobremesa, seguiu-se a festa com uma animada pista de dança que teve o som a cargo dos DJs Vinny e Marcão.  Já de madrugada, assumiu os comandos do som a mais nova Dj do clube, Ivânia, que tratou de transformar a noite em uma verdadeira Festa Ploc.

Assim, com base em muito Lambrusco gelado e um som de qualidade, seguiu-se animação até quase o dia seguinte raiar.

 

Discurso do Novo Presidente, Edson Elias Jorge :

“Meus amigos,

Venho de uma família de pescadores, que juntamente com os fundadores do Pampo Clube de Pesca deram os passos iniciais deste esporte no Rio de Janeiro e no Brasil.

Conheci o Pampo Clube de Pesca ainda menino, quando vinha para Jaconé e aqui ficava no apartamento do Seu Sezefredo e da Dona Dorothéia.

O tempo passou, meu pai adquiriu um título de sócio proprietário do clube e aos poucos mais de 10 anos de vida já comecei a conhecer de perto o que significa pertencer a este clube, sua grandeza, suas tradições e o respeito que se impunha a este nome.

Passada a adolescência e a juventude, afastei-me daqui, posto que minha vida tomou outros rumos, visando a construção de meu futuro.

Já casado e com minha filha contando com 7 meses de vida, minha mulher numa manhã, sabe-se lá Deus porque, me disse que queria vir para Jaconé para que analisássemos a possibilidade de adquirir um título de sócio proprietário do clube.

Viemos para cá e a magia deste paraíso que só os que aqui convivem e conhecem, acabou por nos conquistar.  Assim,  concretizamos o desejo de nos integrar a esta família chamada Pampo.

Nesta oportunidade, conheci um novo lado deste clube, já que no âmbito social tive a oportunidade de fazer novos amigos, de conhecer uma nova família do coração e de ter ao meu lado  minha família de sangue.

Hoje, tenho a felicidade de olhar para os 4 cantos deste salão e só ver amigos e pessoas que quero bem.  Aliado a isso, tenho o privilégio de vir para cá e ter ao meu lado todos os meus irmãos, cunhados e sobrinhos, meus sogros e um primo que no  coração é o 4º irmão que está ao meu lado no Pampo.

Agradeço aqui a presença de meu pai, que é o grande responsável por um dia ter conhecido este clube e que demonstrou para mim, que o esporte é uma forma de se conquistar vitórias e amigos.

Certo dia, quando comemorávamos o 80º aniversário de meu pai, um de seus convidados era o Sr. Sezefredo Herz.  Diante das homenagens feitas ao aniversariante daquele dia, o Sezefredo, igualmente com 80 anos, pediu o microfone e a palavra.

Disse ele, dentre outras coisas, que conhecia meu pai há muitos anos por conta do esporte.  Disse que quis o destino que estivessem em clubes distintos, o Eduardo no Anzol e ele no Pampo.  Ressaltou que sempre foram adversários, mas que nunca foram inimigos, muito pelo contrário.  A amizade entre eles sempre foi um tônica constante.

Que estas palavras e este exemplo sirvam para os mais jovens que hoje trilham o caminho do esporte e da política desportiva.  No esporte, podemos ter adversários, jamais inimigos.  Que a amizade e o respeito mútuo sejam o objetivo de cada desportista que vista a nossa camisa e a de outros clubes.  No que tange a mim, lutarei sempre para que este objetivo seja buscado a qualquer preço.

Sei que terei um desafio muito árduo pela frente. Os problemas serão inúmeros, mas com certeza as alegrias também o serão.

Uma vez defrontado com o convite para assumir a presidência do clube, inicialmente fui contra, pois vivo um período especialmente intenso de minha vida profissional.

Paralelamente a isso, tenho uma filha pequena, compromissos familiares e sociais intensos, que certamente serão afetados com este compromisso hoje assumido.  Porém, algumas coisas me motivaram a assumir este pesado ônus.

A continuação de um trabalho sério, desenvolvido por este grupo que hoje está ao meu lado foi um deles.  Todo o trabalho do Fred, implementando uma mudança radical nos procedimentos até então verificados.  A continuação deste trabalho, através da gestão participativa e competente do Victor, é outro fato que muito me incentivou.

Tudo isto que foi iniciado nestas duas gestões tinha de ser levado adiante. Assim, abandonei projetos pessoais em prol do Pampo, pois é este o meu entendimento de participação na vida de um clube, ou seja, temos de abdicar muitas vezes de vontades e projetos pessoais em prol da agremiação e não utilizar o clube para satisfazer as suas vontades e seus projetos pessoais.  O Pampo é muito maior que qualquer um de nós.   Temos de ter sempre isso em mente.

Outro fator que muito me incentivou a assumir este cargo foi a certeza de ter ao meu lado um grupo coeso e aguerrido, que não tem medo de trabalho e que faz de tudo para que os nossos projetos dêem certo.

Este grupo de diretores, os tantos amigos que nunca negam qualquer tipo de ajuda e essas nossas incansáveis esposas que colocam a mão na massa e dividem conosco cada gota de suor, cada dia de sol perdido, tudo isso é a certeza de que estamos no caminho certo.

Com relação a este tema, faço uma menção especial à Minha Mulher, que sem o apoio e ajuda jamais haveria qualquer chance de aceitar este encargo.  Obrigado minha mulher, minha amiga, minha companheira, minha sócia, mãe do meu mais precioso bem que é a minha filha, meu ombro, minha primeira dama, meu amor…

Um ponto fundamental na aceitação desta presidência, foi a certeza de que terei ao meu lado cada um de vocês, sócios, atletas e amigos do Pampo.  Sei do quanto tenho uma relação de carinho com cada um que frequenta este clube.  Esta parceria, respeito e carinho serão fundamentais ao trilhar este caminho.  Com vocês ao meu lado tudo se torna mais fácil.

Tenham certeza que terei como norte o cumprimento do Plano Diretor aprovado pela assembléia geral.  Buscarei as mudanças por nós desejadas e não terei medo em fazer valer o novo em nosso clube.  Práticas rotineiras podem ser quebradas por outras mais valiosas, aspectos repetidamente verificados poderão ser reformados, porém, o respeito às tradições não poderá ser esquecido.

As pessoas que muito fizeram pela construção e manutenção deste clube não poderão ser descartadas como um copo usado.  Um clube sem história não existe.  Aliás, queria reparar um equívoco institucional que foi feito a pouco tempo atrás.  Gostaria de dizer que as famílias que construíram e constroem este clube mereceram, merecem e sempre merecerão o nosso respeito e reverência.

Deixo claro que tais famílias não são feudos, são história e história se respeita, se admira, se tem como exemplo.

Peço aos diretores que comigo trilharão esse caminho a partir de hoje, que sigam firme na construção de um clube forte em todos os aspectos, sejam eles sociais ou desportivos.

Aos sócios e atletas, peço que não vejam o clube como algo que outros devem ter o ônus de tocar adiante.  Tenham em mente que tudo isto aqui é nosso.  Digo nosso, como de cada um de nós aqui presente.

Com esta responsabilidade em mente, compartilhem com nossa diretoria seus anseios, suas vontades, a verificação de algum erro, o comentário de uma sugestão, o entendimento de que mesmo que venhamos a fazer algo errado, o intuito sempre foi o de acertar.  Partilhem conosco suas opiniões, pois com esta multiplicidade de fatos, aspectos e visões diferentes, certamente nossas decisões serão acertadas.

Tenham em mente, porém, que jamais nossas decisões serão do interesse e da vontade da unanimidade. Decisões e atos certamente serão praticados de forma contrária ao que algumas pessoas pretenderiam ver acontecer.  Porém, o aspecto democrático de um clube como o Pampo tem de prevalecer sempre.

Nossa vontade pode ser suplantada, porém, se for suplantada com um amplo debate e com base na vontade da maioria, a minoria vencida tem de aceitar tais fatos e a partir daí estar junto da maioria no cumprimento daquilo que for decidido.

Isto é basilar, é primário, é óbvio, mas é muito difícil de se verificar em qualquer comunidade.  Os derrotados tomam as decisões contrárias e aprovadas pela maioria como algo pessoal e a partir daí, passam a opor-se a tudo e a todos que não comungaram com ele da vontade minoritária.

Pensem nisso e mudem a forma como encarar a democracia.  Agindo de forma democrática, certamente teremos uma gestão sem contratempos e muito proveitosa para nosso clube.

Aos atletas, rogo o respeito aos companheiros e ao nosso clube.  Não é preciso que se desfrute do mesmo copo de bebida ou dos mesmos lugares onde nos divertimos.  Não é preciso ser amigo íntimo de todos os companheiros de clube, mas sim, ao ver aqueles que vergam a mesma camisa azul e amarela, tenham como base o respeito e a torcida pelo sucesso, pois o sucesso de cada um é o sucesso de um todo.

Mostramos aos antigos dirigentes desportivos e a todo o Brasil, que ninguém deve ousar desrespeitar nosso clube. Tomamos a frente num movimento de liberdade que hoje ecoa por todo o Brasil.  É este respeito e este orgulho que hoje deve tomar conta de nossos corações ao vestir a nossa camisa auri-celeste.

Mais que nunca vemos a atualidade de nosso hino, que diz: “a nossa fama já ultrapassou fronteiras, somo a mais respeitada das equipes brasileiras”.  Se temos o respeito e admiração em todas as fronteiras, não será dentro de nossos muros que este respeito não será verificado.  Que o grito de Pampo ao receber um troféu, não seja uma coisa vazia ou protocolar.  Que ele seja de verdade.  Conto com vocês atletas Pampistas !

Enfim, amigos, muito obrigado por sua presença.  Que de hoje em diante Deus possa iluminar os nossos caminhos e que possamos juntos construir mais esta etapa de vida do Pampo Clube de Pesca.

Jaconé, 17 de março de 2012.

Edson Elias Jorge

Presidente do PCP”